CORONAVÍRUS (COVID-19) e os reflexos na coletividade – Por Rose Stuart

CORONAVÍRUS (COVID-19) e os reflexos na coletividade – Por Rose Stuart

CORONAVÍRUS (COVID-19) e os reflexos na coletividade – Por Rose Stuart

Nós queremos ajudá-lo a passar por essa crise que o Coronavírus (Covid-19) está causando em todo mundo e os condomínios, também estão sendo muito afetados por isso.

Precisamos atuar com muita responsabilidade. Para falar mais sobre medidas exemplares que os síndicos estão tomando, trouxemos hoje uma especialista e considerada Síndica Ninja do ByDoor, Rose Stuart.

Leia agora o relato de Rose, sobre como está lidando com a situação no condomínio que ela administra:

CORONAVIRUS (COVID-19) e os reflexos na coletividade

Há alguns meses fomos tomados por um sentimento de solidariedade vendo do lado de cá, os horrores das imagens de Wuhan na China, provocados pela disseminação massiva do coronavírus.

Em meus pensamentos mais íntimos, embora temesse que estaríamos em pouco tempo travando a mesma batalha, procurava uma forma de afastar o que agora ameaça a todos nós.

Quando somos síndicos, entre outras responsabilidades que nos é imposta, uma é primordial em nossa missão no cargo: a responsabilidade pelas vidas alheias.

De certo modo, embora tenhamos soluções para muitos problemas, ou alcançamos de forma compartilhada resultados para uma boa gestão, lidar com uma pandemia e ser um importante personagem nessa missão, exige muito mais de nós. E, COVID-19 parece ter vindo realmente para também nos testar de diferentes formas.

É insensato pensar que chegaremos a qualquer caminho sozinhos. Somente juntos, e com a colaboração de todos é que poderemos alcançar melhores perspectivas para lidar com esse inimigo invisível. O inimigo que não apenas tira nosso sono, tira também os afagos.

Podemos determinar medidas que, embora não sejam confortáveis e desagradem a maioria dos condôminos, são essas que permitirão uma redução importante dos riscos de contágio. Mas, sem a aceitação de que cada um possui um papel principal na colaboração e solidariedade, a eficácia de qualquer medida tem poucas chances de êxito.

Portanto, a mudança de hábitos, a conscientização dos deveres e da responsabilidade individual, é o fator que pode nos beneficiar e nos ajudar a minimizar os sofrimentos vistos nos outros países.

Medidas que foram tomadas

Na tentativa de ajudar na prevenção, busquei auxílio de pessoas da área de saúde, das orientações do Ministério e Secretaria da saúde e, também, dos colegas de profissão da área jurídica para adoção de medidas emergenciais temporárias como:

  • bloqueio de reservas de espaços comuns de uso coletivo;
  • comunicados e cartilhas explicativas;
  • fechamento da brinquedoteca;
  • proibição de aulas coletivas;
  • orientações aos funcionários terceirizados;
  • instalação de dispensers de álcool gel nos elevadores, portas biométricas das garagens, academias, pontos de áreas comuns, refeitórios dos funcionários e portaria;
  • desabilitação da biometria das entradas das torres. Mas tudo isso amplamente divulgado aos moradores.

Nas nossas decisões enquanto síndicos, toda cautela é pouca. Estas precisam também ter amparo legal. Embora exista um alarde geral, e muitas opiniões e pitacos, precisamos ter em mente que atitudes ou determinações que possam ferir direitos individuais ou de propriedade, podem provocar conflitos judiciais desnecessários.

De tudo, sei que neste momento crucial para todos nós, nosso maior desafio agora é cuidar do outro. É nos afastarmos de corpos, mas nos mantermos unidos em sentimentos. É o abraçar com os olhos e o beijo selado no coração. 

Solidariedade, sobriedade, consciência e união, são palavras de ordem nestes tempos difíceis.

Rose Stuart 

Advogada e síndica do Four Seasons Condomínio Resort

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *