Minha experiência como síndico – 6º dia de pandemia

Minha experiência como síndico – 6º dia de pandemia

Minha experiência como síndico – 6º dia de pandemia

Avaliar os cenários e ter indicadores podem te conduzir para uma tomada de decisão correta.  Hoje nosso propósito é outro: queremos evitar uma pessoa infectada e assim atingir milhares.

O segredo é nos antecipar

Talvez tenhamos sido os primeiros a trabalhar em “home office”. Brilhantismo? Competência?

Não. Apenas obrigação na gestão de pessoas e negócios.

Fui taxado de paranoico ao liberar a coleta de digitais e catracas, fechar espaços comuns e disponibilizar álcool gel. E depois, “palitos”.

Definitivamente não estou paranoico. Estou é muito paranoico.

Nesta segunda (23/03/20), na empresa vamos manter a reunião semanal. Quero ver a cara da turma. Ao final, teremos uma aula de pilates com uma profissional habilitada.Vamos nos alongar…

No condomínio onde sou síndico, já estamos preparando um duro plano de contingência.

As hipóteses de um colapso no transporte público e o direito de ir e vir cerceados são reais.

O caixa vai ser duramente afetado. Agora é hora de encontrar formas de lidar com uma forte inadimplência.

Esta semana, explodiu o número de e-mails de comunicados enviados pelo ByDoor em todo o país.

Nossa responsabilidade é fazer com que toda mensagem encontre seu destino. Comunicação é tudo.

O número de cancelamentos de espaços comuns demonstra que, apesar de alguns tardiamente, o bom senso prevaleceu.

Nunca tantas enquetes foram feitas.

Quero agora ver o número de classificados na plataforma explodir. Gerar trocas. Voltaremos aos tempos dos escambos.

Mais digno que nos tempos de escândalos. Vamos fomentar os negócios entre os condôminos.

A professora do pilates é minha vizinha. Quero que ela se torne uma referência digital.

Meus fornecedores de delivery, quando necessário, serão os amigos e vizinhos.

Por fim, sou um otimista nato: vai piorar.

E pela primeira vez acho, que o Atlético Mineiro (o glorioso Galo), não será o campeão do Brasil. E nem vou para o Japão.

Simplesmente pois não sei se vai ter campeonato.

Leonardo Diniz Mascarenhas

Esse foi mais um relato do nosso Diretor de Operações, Leonardo Mascarenhas. Se esse artigo foi útil para você e acredita que pode ajudar outras pessoas, compartilhe nas suas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *