A culpa não é do porteiro: cada um deve cumprir com as suas obrigações

A culpa não é do porteiro: cada um deve cumprir com as suas obrigações

A culpa não é do porteiro: cada um deve cumprir com as suas obrigações

A culpa não é do porteiro…

Em 99% dos casos, um procedimento errado na portaria não gera uma experiência ruim. 

O problema é quando a negligência de todos causa trauma. Somos todos culpados.

Segurança sempre foi um tema complexo, que exige tecnologia, procedimento e treinamento constante. Se um destes elementos falha, o prejuízo pode ser grande.

Toda vez que ocorre um acidente aéreo, as entidades reguladoras iniciam as investigações, não para achar o culpado, mas com o intuito de se evitar a ocorrência de um episódio similar.

Quando as causas são descobertas, os protocolos são revisados, treinamentos de reciclagens são aplicados e a fiscalização se torna mais exigente.

Na grande maioria das invasões em condôminos, o “modus operandi” se repete. O bandido se passa por morador, o procedimento não é seguido e fatos desagradáveis são consumados.

Uma invasão geralmente é precedida de um monitoramento do ambiente pelo bandido ou seus comparsas que via de regra já estiverem antes no local ou receberam informações preciosas.

Não basta treinar somente os porteiros se a comunidade opta em negligenciar, e por vezes desacatar as ordens recebidas por quem está ali para protegê-los.

Manter sempre atualizado o cadastro de pessoas e veículos é o primeiro passo. A informação de qualidade, assim como foi para o bandido, é sempre o melhor aliado.

Um condomínio deve ter fama de que é chato entrar. Seja ele comercial ou residencial. Isto pode irritar alguns convidados, mas o benefício de espantar o mal elemento supera qualquer imbróglio.

O registro de acesso, uma comunicação eficaz com a portaria (não, WhatsApp não serve) e disciplina são os maiores aliados da boa segurança.

Compartilhar responsabilidades é mais um desafio dos síndicos e conselheiros que são os legítimos responsáveis em prover a segurança, o sossego e a salubridade.

Cada um deve fazer a sua parte.

Leonardo Diniz Mascarenhas

3 thoughts on “A culpa não é do porteiro: cada um deve cumprir com as suas obrigações”

  1. Flávio Denilson disse:

    Muito boa a explanação sobre o tema. a responsabilidade é de todos.

  2. Rafahin Lino Aguiar disse:

    Excelente explanação sobre o tema. Presto serviço em condomínios e costumo ver os próprios condôminos tentando burlar regras implantadas para a própria segurança.

    1. Caroline Ornellas disse:

      Verdade todos temos que nos dar conta da responsabilidade coletiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *