Contratação ou terceirização de funcionários em condomínios?

A polêmica terceirização de funcionários está de volta aos debates desde a sanção da lei sobre o assunto, assinada pelo presidente Michel Temer, em março. Na prática, significa que, a partir da validação da proposta, as atividades de empresas prestadoras de serviço também passarão a ser reguladas.

Mas, afinal, você sabe exatamente como funciona a terceirização e por que ela é mais interessante que a contratação direta para uma gestão eficiente na realidade dos condomínios?

Neste post, vamos fazer um comparativo entre contratação e terceirização de funcionários para que você tire suas próprias conclusões. Confira.

Vantagens e desvantagens da terceirização de funcionários em condomínios

Por meio da terceirização, o condomínio pode contratar outras empresas para exercer determinadas atividades, como limpeza, portaria, conservação e segurança. A principal vantagem para o síndico ou contratante se refere à redução da burocracia na hora de contratar. Sem contar a economia, já que um funcionário de carteira assinada apresenta o dobro do custo para o empregador (salário e benefícios).

Para os trabalhadores que passam a ter amparo na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a maior vantagem da terceirização é que ela impede que eles venham a realizar tarefas diferentes daquelas para as quais foram contratados. Além disso, é uma garantia a mais de tratamento igualitário com os funcionários contratados diretamente, certificando que haja condições de higiene, segurança e salubridade adequadas.

Entre as desvantagens está o fato de que pode ficar mais difícil garantir a qualidade dos serviços prestados e fiscalizar se os contratos dos trabalhadores estão devidamente regularizados pela empresa fornecedora.

Cuidados ao escolher a empresa fornecedora

No momento do contrato, o síndico deve se assegurar de que a empresa escolhida realmente cumpra as exigências das leis do trabalho, mas não apenas isso. A empresa terá que oferecer Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e seguir a integralidade das normas de segurança definidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Vale lembrar que, mesmo que o funcionário seja terceirizado, caso ele venha a sofrer acidentes em seu local de trabalho, o condomínio será também responsabilizado diante da lei. Da mesma maneira, a fornecedora que burla as leis trabalhistas pode gerar ônus ao condomínio.

Vantagens e desvantagens da contratação direta

Enquanto na terceirização o contratante não pode sequer dar sugestões ao funcionário (o que compete somente à empresa fornecedora), a outra modalidade permite monitorar, dar feedbacks e cobrar do trabalhador a execução do serviço da melhor maneira possível, trazendo vantagens para a sua qualidade.

A principal desvantagem tem a ver com a burocracia: a papelada que é necessária ao se assinar a carteira de trabalho, além dos gastos com direitos trabalhistas (férias, décimo terceiro, FGTS, INSS, vale-transporte, licença-maternidade) que chegam a superar o próprio valor do salário. Não por acaso, acabam sobrecarregando o empregador, que não pode investir em equipamentos e infraestrutura, deixando a administração ineficiente.

Como você deve ter observado, a terceirização é uma prática há muito utilizada pelos condomínios, e a regulamentação das empresas fornecedoras só vem a otimizar as relações de trabalho, com ganhos efetivos para a gestão de condomínios.

Bom, agora que você está por dentro de tudo sobre a terceirização de funcionários, confira também as nossas 8 dicas para aprender a escolher os melhores fornecedores para condomínio!

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *